Os protestos que têm ocorrido desde fevereiro na Venezuela, contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro, causaram já 28 mortos e 365 feridos, afirmou esta quinta-feira a Procuradora venezuelana, Luisa Ortega Diaz.

Falando em Genebra, à margem do Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos, a mesma responsável avançou com estes números, lamentando o cenário «de violência e caos» no país.

«O que começou por ser uma manifestação pacífica na Venezuela, transformou-se em violência e caos. O direito ao protesto não é absoluto», declarou, insistindo que «os cidadãos têm o direito de se manifestarem de forma pacífica e sem armas».

Desde há um mês que se registam diariamente protestos em várias localidades da Venezuela, entre manifestações pacíficas e atos de violência, que levaram à detenção de mais de 1.300 pessoas.

Entre as vítimas mortais estão um procurador de justiça e três guardas nacionais e entre os 265 feridos contam-se 109 elementos da polícia nacional.

Hoje o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, deu ordens às forças de segurança para controlarem os focos de violência no país e deterem quem financia os grupos violentos.