A França e os Estados Unidos consideram tomar «novas medidas» em relação à Rússia, «na ausência de progressos» face à crise na Ucrânia, anunciou este sábado a presidência francesa após uma conversa telefónica entre os presidentes François Hollande e Barack Obama.

Observadores impedidos de entrar na Crimeia após tiros

François Hollande e o seu homólogo Barack Obama reiteraram a «necessidade de a Rússia retirar as forças enviadas à Crimeia desde o final de fevereiro e de tudo fazer para permitir o destacamento de observadores internacionais» para o local.

Os dirigentes sublinharam que, «na ausência de progressos neste sentido, serão tomadas novas medidas, que afetarão sensivelmente as relações entre a comunidade internacional e a Rússia, o que não é do interesse de ninguém», referiu o Eliseu, em comunicado.

Diplomacia russa e embaixador ucraniano reunidos em Moscovo

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Grigori Karassine, e o embaixador ucraniano em Moscovo, Volodymir Eltchenko, reuniram-se hoje para discutir «num ambiente franco» as relações russo-ucranianas, num primeiro contacto com as novas autoridades de Kiev.

O encontro foi anunciado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, em comunicado, avançou a EFE.

No entanto, o novo Governo da Ucrânia, que dirige o país desde a queda do regime do presidente Viktor Ianukovich, não obteve ainda reconhecimento oficial por parte das autoridades russas, que acusam os novos dirigentes ucranianos de ter tomado o poder através de uma insurreição armada apoiada por radicais ultranacionalistas.