Afinal Ariel Castro não se suicidou. O sequestrador de Cleveland morreu por acidente, enquanto se sufocava para ter mais prazer durante o orgasmo, avançou, esta quinta-feira, fonte da polícia de Ohio, citado pelo «The Washintgon Post».

De acordo com as autoridades, Ariel Castro pode ter morrido num ato sexual chamado «auto-erotic asphyxiation» (asfixia auto erótica), que consiste em atingir a satisfação sexual com breves momentos de sufocamento e inconsciência. O «monstro» de Cleveland terá morrido enquanto tentava limitar o fluxo de oxigénio para aumentar o prazer da masturbação e do orgasmo.

Castro foi encontrado enforcado na sua cela num prisão de Ohio, no dia 3 de setembro, pendurado com um lençol e com as cuecas e calças ao nível dos tornozelos, segundo revela o relatório policial.

A investigação do Departamento de Reabilitação e Correção de Ohio concluiu que o sequestrador não tinha intenções de se matar assim como não existiam indícios de que este tivesse algum problema mental.