Os separatistas no leste da Ucrânia libertaram um dos observadores da OSCE por razões médicas. Os pró-russos que controlam a cidade de Slaviansk mantêm ainda como reféns sete elementos da missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Ao fim de mais de dois dias de detenção, um observador sueco que sofre de diabetes foi libertado e regressou a Kiev num jipe da OSCE.

Para trás ficam outros sete observadores, aprisionados numa cave, mas que este domingo puderam dizer à imprensa que não têm sido mal tratados, como afirmou o coronel alemão Axel Schneider.

Os separatistas acusam-nos de espiar para a NATO e que todos os 57 países da OSCE, Rússia incluída, sabiam da sua missão.