Um funcionário da câmara de Caracas e um estudante de San Cristóbal foram mortos na quarta-feira, elevando para 31 o número de vítimas relacionadas com os protestos que duram desde o início de fevereiro contra o governo de Nicolás Maduro.

Fontes próximas do executivo garantem que foi o trabalhador camarário foi morto numa emboscada quando desmontava uma barricada erguida por opositores. Já o estudante foi atingido a tiro, segundo as autoridades.

De acordo com um porta-voz da oposição, o aluno foi morto por homens armados, que seguiam em motorizadas e integram grupos conhecidos como «coletivos» que se dedicam a dispersar manifestações.

Esta noite, as autoridades venezuelanas detiveram o presidente da câmara municipal de San Cristóbal, Daniel Ceballos, por alegadamente apoiar a violência de manifestantes na área da sua jurisdição.