Notícia atualizada

A polícia turca lançou granadas de gás lacrimogéneo durante uma carga para dispersar uma manifestação com cerca de 20 mil pessoas que protestam em Izmir contra a negligência do Governo no acidente mineiro.

De acordo com a agência Dogan, o presidente da Confederação dos Sindicatos Revolucionários da Turquia, Kani Beko, ficou ferido durante a carga da polícia em Izmir, no Este da Turquia.

A imagem de um assessor do primeiro-ministro, segundo o «Turk Report», que também ataca um homem ao pontapé, está a chocar a opinião públlica.

O homem sobre quem o assessore e a polícia carregaram era aparentemente o familiar de uma das vítimas da mina de carvão.

Entretanto, o chefe de Estado turco, Abdullah Gul, chegou esta quinta-feira à mina de Soma, o local da catástrofe que provocou a morte a pelo menos 282 mineiros na terça-feira.

As autoridades turcas elevaram esta quinta-feira para 282 o número de mortos na explosão de uma mina de carvão, na cidade de Soma, no oeste da Turquia.

O novo balanço foi facultado pelo ministro da Energia, Taner Yildiz, depois de terem sido retirados mais corpos do local.

Há ainda um número indeterminado de mineiros encurralados na sequência do acidente de terça-feira, considerado o mais grave da história da Turquia.