As revelações sobre as práticas de espionagem nos EUA, feitas pelo ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em Inglês) Edward Snowden causaram «estragos desnecessários» à capacidade de recolha de informação pelos EUA, disse esta sexta-feira Barack Obama.

Durante uma conferência de imprensa sobre a atualidade norte-americana e internacional, antes de partir para celebrar o Natal no Havai, o Presidente dos EUA recusou-se a comentar a possibilidade de amnistiar ou perdoar Snowden, que se encontra asilado na Federação Russa.

Aos jornalistas, Obama disse também que os congressistas norte-americanos não deveriam impor mais sanções ao Irão, avisando que isso poderia fazer descarrilar os esforços diplomáticos para conter o programa nuclear de Teerão.

2014 tem de ser «ano de ação»

Obama considerou ainda os problemas no lançamento do site na internet para a contratação de novos seguros de saúde representaram o pior dos erros cometidos pelo seu Governo em 2013.

Durante a sessão, Obama, que manteve um tom otimista e descontraído, afirmou que cada dia que passa é uma nova oportunidade para fazer melhor as coisas: «Estou certo de que terei melhores ideias depois de uns dias de sol e sono.»

Nesta linha, Obama respondeu com ironia, quando um dos jornalistas lhe perguntou pelo seu desejo de Ano Novo: «Ser mais amável com a imprensa da Casa Branca.»