O Reino Unido estará a passar, esta segunda-feira, pela pior tempestade em dez anos, com ventos de mais de 150 quilómetros por hora. Há já quatro mortes confirmadas devido à queda de árvores e um desaparecido.

Uma jovem de 17 anos, que dormia numa caravana, em Kent, não resistiu aos ferimentos causados pela queda de uma árvore, de acordo com a imprensa inglesa. Também um homem de cerca de 50 anos morreu devido à queda de uma árvore sobre o seu carro.

Também um homem e uma mulher, em Londres, morreram na sequência de uma explosão de gás causada pela queda de uma árvore e que acabou por provocar o colapso da casa.

Quase 600.000 casas ficaram sem eletricidade e centenas de voos foram cancelados no aeroporto londrino de Heathrow, assim como várias ligações ferroviárias, devido ao forte temporal de chuva e vento.

Entretanto, parte da energia foi restabelecida, mas ainda falta levar a eletricidade a 200 mil pessoas.

As autoridades alertaram para ventos fortes que poderão causar a queda de árvores, danos em edifícios, cortes de eletricidade e perturbações nos transportes depois de a tempestade ter atingido a costa sudoeste na noite de domingo.

Em França, mais de 75 mil lares ficaram hoje sem eletricidade no noroeste, na sequência dos danos causados nos cabos elétricos pelas chuvas geradas por uma tempestade.

O distribuidor ERDF precisou que 35 mil casas afetadas estão na região da Normandia, outras 30 mil na Bretanha e cerca de 10 mil no Nord/Pas-de-Calais.

No noroeste de França, que está sob alerta laranja, registavam-se hoje ventos de até 139 quilómetros por hora.

Atualizado às 16:11