Uma estação de comboios, no Rio de Janeiro, no Brasil, a «central», foi invadida na quinta-feira por centenas de manifestantes que reclamam contra o preço dos transportes.

Às pedras arremessadas, a polícia respondeu com gás lacrimogénio. Pelo menos sete pessoas ficaram feridas, incluindo um repórter de imagem da cadeia de televisão Bandeirantes, que foi transportado para o hospital e se encontra em estado grave, como conta a Reuters.

Vinte pessoas foram detidas, depois do protesto que começou de forma pacífica não se ter ficado pela violação dos torniquetes de acesso às plataformas.

As queixas dos utentes dos transportes públicos começaram na semana passada, quando o governador anunciou o aumento do preço dos transportes.

Mas, os protestos não sãom só no Rio, tal como há alguns meses aquilo que começou com uma manifestação contra os preços dos transportes provocou uma onda de contestação nacional e com repercussões, muito através da internet, por todo o mundo.

Em Porto Alegre, por exemplo, a frota de autocarros está parada há 12 dias e os poucos autocarros que saíram das garagens regressaram pouco depois dos motoristas terem sido ameaçados com pedras, a exemplo de outros colegas cujos autocarros foram apedrejados quando tentaram furar o bloqueio.

As autoridades estudam a hipótese de contratar transportes externos para assegurar o serviço na cidade.