O poema preferido de Kennedy tem um nome estranhamente profético: chama-se «Tenho um encontro com a morte».

Os biógrafos dizem que Kennedy pedia com frequência à mulher, Jacqueline, para ler este poema em voz alta.

Foi também isso que decidimos fazer: ler o poema em voz alta: há uma gravação sonora feita pelo sobrinho do autor, Alan Seeger. E usámos as fotos de um extraordinário álbum de fotogafias editado há uns anos pela Phaydeon.

Isto combinado com algunas das frases marcantes de John Kennedy, ajudam a ilustrar uma vida invulgar. De um homem que tinha um encontro com a morte. E que não falhou o compromisso.