A moção de confiança ao Governo de coligação de Itália liderado por Enrico Letta foi aprovada, esta quarta-feira, no parlamento. Pouco tempo antes da votação, Sílvio Berlusconi, principal responsável pela crise dos últimos dias, deu o dito por não dito e votou a favor da moção.

O executivo conquistou a moção de confiança na câmara alta do Parlamento italiano com 235 votos a favor e 70 contra.

Recorde-se que cinco ministros do partido liderado por Berlsuconi pediram a sua demissão, mas o executivo não caiu. Na sequência das saídas, primeiro-ministro Enrico Letta disse que ia apresentar uma moção de confiança no parlamento.

De acordo com as agências internacionais, Berlusconi deixou o parlamento em silêncio quando apelou ao voto favorável, conseguindo depois aplausos dos deputados do seu partido. O ex-primeiro-ministro e atual líder do Partido da Liberdade (PLD) afirmou que «tendo em conta as expectativas e o facto de que Itália precisa de um governo capaz de fazer reformas institucionais e estruturais, decidimos - não sem um sentimento de angústia interna - apoiar o voto de confiança».

Já terça-feira, o seu delfim, Angelino Alfano, tinha apelado ao voto favorável na moção.