A estação televisiva de Hong Kong TVB revelou esta quarta-feira imagens que mostram um grupo de agentes da polícia a agredir um manifestante algemado durante vários minutos durante uma operação esta madrugada.

Alan Leong Kah-kit, líder do Partido Cívico, disse ao South China Morning Post que o homem agredido é Ken Tsang Kin-chiu, membro do mesmo partido.

Segundo Leong, Tsang Kin-chiu encontra-se detido em Wong Chuk Hang e já foi visitado por quatro advogados. 

A Amnistia Internacional (AI) juntou-se ao coro de condenações da alegada agressão a Ken Tsang e Mabel Au, diretora da AI de Hong Kong, disse que tudo aponta para um «feroz ataque contra um homem detido que não representava ameaça para a polícia», apelando a uma investigação imediata.

«Os agentes da polícia de Hong Kong envolvidos na agressão de um manifestante pró-democracia, já detido, têm de enfrentar a Justiça», afirmou a organização em comunicado citado pelo jornal South China Morning Post, acrescentando que «todos os indivíduos envolvidos em atos ilegais devem ser acusados».

Pelo menos 45 detidos em noite intensa de confrontos

Os violentos confrontos que tiveram, esta noite, Hong Kong como palco, com a polícia a recorrer a gás pimenta para dispersar centenas de manifestantes, resultaram em 45 detidos, informaram as autoridades.

A polícia voltou a recorrer ao gás pimenta para dispersar centenas de manifestantes que pouco antes da meia-noite se entrincheiraram numa das ruas próximas do complexo que alberga a sede do Governo e o Conselho Legislativo (LegCo, parlamento) de Hong Kong.

Ao início da madrugada, ativistas do movimento ‘Occupy Central’ forçaram a retirada de várias dezenas de agentes, os quais se viram encurralados por centenas de manifestantes que conseguiram cortar o tráfego e montar barricadas na via.

Face à atuação da polícia contra os manifestantes, a popularidade do secretário para a Segurança de Hong Kong caiu a pique, revela uma sondagem da Universidade de Hong Kong.

A sondagem, citada pelo jornal South China Morning Post, indica que o saldo entre os votos de confiança a Lai Tung-kwok e os de desconfiança resultou «numa queda para zero» da popularidade do dirigente.

O inquérito de opinião, que se realiza todos os meses e avalia a popularidade de diferentes membros do Governo, decorreu entre 06 e 09 de outubro, depois de a polícia ter lançado gás lacrimogéneo 87 vezes sobre os manifestantes em Hong-Kong, além de gás pimenta, a 28 de setembro.