O cessar-fogo na Faixa de Gaza não passou de uma breve miragem. Apenas seis horas depois do governo israelita ter aceitado a proposta egípcia, os ataques aéreos regressaram.

«O Hamas disparou 47 rockets desde que suspendemos os nossos ataques a Gaza esta manhã. Então, retomámos a nossa operação», diz um comunicado das forças israelitas, citado pela Reuters.

O braço armado do Hamas, as Brigadas Ezzedine al-Qassam, tinham avisado que rejeitavam a proposta egípcia, descrevendo-a como uma «rendição», e ameaçaram «intensificar» a luta contra Israel.

Os rockets disparados nas últimas horas para Israel não provocaram feridos. Do lado palestiniano, os últimos números dão conta de 184 mortos no conflito que dura há uma semana.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, declarou esta terça-feira o seu apoio a Israel: «Não consigo condenar suficientemente as ações do Hamas ao lançar rockets, em tão grande número, diante de um esforço de cessar-fogo».