Notícia atualizada às 13:44

Pelo menos quatro pessoas morreram e 125 mil foram deslocadas no centro do arquipélago das Filipinas após a chegada do super tufão «Haiyan», que assola o país com ventos médios de 235 quilómetros por hora e rajadas de 275 quilómetros por hora.

Segundo a AFP, que cita o meteorologista norte-americano Jeff Masters, do site www.wunderground.com, a força do vento converteu o tufão Haiyan - de categoria 5, a mais alta de todas - num dos ciclones mais violentos do mundo e no mais potente a tocar em terra em toda a história.

Um comunicado do Conselho Nacional de Gestão e Redução de Desastres das Filipinas revela que um homem na localidade de Lingig, em Surigao do Sul, morreu ao ser atingido por um poste de eletricidade. Duas outras pessoas morreram eletrocutadas, atingidas pela rede elétrica derrubada pelos fortes ventos. Não se sabe como faleceu a quarta vítima.

O mesmo organismo acrescenta que 125 mil pessoas, ou 27 mil famílias em 22 províncias das Filipinas, estão alojadas em 109 centros de evacuação promovidos pelo Governo.

A destruição já é visivel. De acordo com a AFP, o canal de tv «ABS CBN» emitiu imagens de ruas inundadas, telhados a voar e prédios destruídos em Tacloban, uma cidade no litoral com cerca de 200.000 habitantes.