A equipa governamental de Manuel Valls, novo primeiro-ministro francês, inclui Ségolène Royal na pasta da Ecologia, Energia e Transporte. Antiga companheira de François Hollande, de quem tem quatro filhos, Royal disputou o Eliseu com Nicolas Sarkozy em 2007.

A nova constituição do governo de Paris foi anunciada pela secretaria-geral da presidência de François Hollande e vai substituir o antigo Executivo, liderado por Jean-Marie Ayrault, que se demitiu após a derrota eleitoral do PS francês nas eleições locais de domingo, dia 30 de Março.

De acordo com o jornal «Le Parisien», a lista que Manuel Valls entregou, esta quarta-feira, ao Eliseu, conta com outra cara nova, além de Ségolène Royal. François Rebsamen, até agora presidente da Câmara Municipal de Dijon, é nomeado ministro do Trabalho. Tal como a antiga candidata presidencial dos socialistas, Rebsamen também é muito próximo de François Hollande.

Novo primeiro-ministro francês toma posse

Na lista para o novo governo consta ainda a substituição do ministro das Finanças Pierre Moscovici por Michel Sapin, até aqui ministro do Trabalho. Sapin vai assumir aquela que é considerada a pasta mais difícil do novo governo francês: um «superministério» das Finanças, com a pressão da Europa para uma profunda reforma das contas públicas francesas.

Com 50 anos, Michel Sapin é um dos políticos com mais anos de governo, em França. Começou no início dos anos 90 no Governo Bérégovoy e foi diretor da campanha presidencial de François Hollande. O Presidente francês foi também padrinho de casamento de Michel Sapin.

O primeiro-ministro, Manuel Valls, tem um governo mais jovem em relação às duas versões anteriores. Conta com Bernard Cazeneuve no ministério do Interior. A pasta, deixada vaga pelo agora primeiro-ministro, é entregue ao até aqui ministro-adjunto para o Orçamento.

Na pasta dos Negócios Estrangeiros mantém-se Laurent Fabius. Foi também reconduzido Jean Ives Le Drian, na Defesa. Arnaud Montebourg, o ministro responsável pelas PME e pela economia digital, assume a pasta da Economia.

Os Verdes, que tinham uma ministra no governo anterior, abandonam o executivo socialista. Os partidos radicais de esquerda mantêm-se no executivo e Christine Taubira, a ministra da Justiça, posta em causa no escândalo das escutas, mantém-se no cargo.

Lista completa dos 17 membros do governo:

Manuel Valls, primeiro-ministro

Laurent Fabius, ministro dos Negócios Estrangeiros

Ségolène Royal, ministra da Ecologia, Energia e Transporte

Benoît Hamon, ministro da Educação, do Ensino Superior e da Ciência

Christiane Taubira, ministro da Justiça

Michel Sapin, ministro das Finanças

Arnaud Montebourg, ministro da Economia

Marisol Touraine, ministro da Solidariedade Social

François Rebsamen, ministro do Trabalho e do Emprego

Jean-Yves Le Drian, ministro da Defesa

Bernard Cazeneuve, ministro da Administração Interna

Najat Vallaud-Belkacem, ministro da Igualdade, da Juventude e do Desporto

Marylise Lebranchu, ministro da Reforma do Estado e da Função Pública

Aurélie Filippetti, ministro da Cultura e da Comunicação

Stéphane Le Foll, ministro da Agricultura e das Florestas, porta-voz do governo

Sylvia Pinel, ministro da Habitação e do Território

George Pau-Langevin, ministro do Ultramar