O presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, chegou esta quinta-feira de manhã a Santiago de Compostela para conhecer de perto as circunstâncias do acidente ferroviário que fez pelo menos 78 mortos e 130 feridos na quarta-feira à noite.

Mariano Rajoy, natural daquela cidade galega, visitou, juntamente com a ministra da Economia, Ana Pastor, e o presidente da Junta da Galiza, Alberto Núñez Feijóo, o lugar onde aterrou a carruagem que voou pelo ar no momento do acidente, em cima de um talude que separa a linha férrea da estrada e onde estão instaladas duas enormes gruas que estão a ser usadas para deslocar os vagões descarrilados.

O presidente do Governo deteve-se depois num viaduto sobre a linha, onde durante cerca de dez minutos, acompanhado por diretores da operadora dos comboios espanhola, Renfe, e da administradora da infraestrutura ferroviária, Adif, seguiu as explicações sobre como aconteceu o acidente e como decorrem os trabalhos com as equipas de emergência.

Apesar de ser natural de Santiago de Compostela, Mariano Rajoy não escapou às críticas. Tudo por causa de um primeiro comunicado do governo espanhol, onde «o corta e cola» acabou por misturar esta tragédia na Galiza, com o terramoto na China, do início da semana.