As autoridades da Crimeia libertaram esta quinta-feira o comandante da Marinha da Ucrânia, o contra-almirante Serguei Gaiduk, detido na quarta-feira durante a ocupação de uma base naval em Sebastopol, disse o presidente interino ucraniano.

«O contra-almirante Serguei Gaiduk foi libertado esta noite com todos os outros civis feitos reféns (...) pelos soldados russos e membros das autoproclamadas autoridades da Crimeia», na quarta-feira, afirmou Oleksandr Turchinov, citado num comunicado reproduzido pela agência noticiosa Interfax.

Gaiduk foi libertado, com outras sete pessoas, perto de um posto de controlo na localidade de Chongar, próxima da Ucrânia continental, indicou a agência de notícias da Crimeia Criminfor, que cita como fonte o deputado do Parlamento ucraniano Andrei Senchenko.

O ministro da Defesa russo, Serguei Shoigu, tinha pedido às autoridades da Crimeia para libertarem o comandante e permitirem o seu regresso à Ucrânia.

Já o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, afirmou hoje que a anexação da Crimeia e do porto de Sebastopol à Federação Russa deverá ser legalmente formalizada esta semana.

«O processo legal será concluído esta semana», adiantou o chefe da diplomacia russa, durante uma reunião com representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros nas entidades da Federação Russa, em declarações citadas pelas agências locais.

Lavrov indicou que, neste momento, estão a ser dados passos práticos no sentido de cumprir o tratado bilateral firmado, na terça-feira, pelo Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e os dirigentes da Crimeia e Sebastopol sobre a sua integração na Federação Russa.