A Austrália enviou, este domingo, aviões e navios para investigar sinais submarinos detetados por um navio chinês, considerados «uma descoberta importante e encorajadora» nas buscas pelas caixas negras do avião da Malásia desaparecido.

Angus Houston, o chefe australiano da missão, disse que um outro sinal está a ser analisado a 300 milhas náuticas de distância, no oceano Índico, quando se aproxima o limite de um mês de vida útil para as baterias que alimentam os sinais emitidos pelas caixas negras.

Ele revelou que o navio China Haixun 01 detetou por duas vezes um sinal subaquático numa frequência usada para transmitir dados de voo e gravadores de voz do cockpit - uma vez durante 90 segundos no sábado e uma outra mais rápida na sexta-feira -, a uma curta distância.