Malala Yousufzai, a jovem paquistanesa que quase morreu num ataque dos talibã, fez esta sexta-feira um emocionante discurso na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

No dia em que completa 16 anos, a ativista pelo direito à educação das mulheres deixou uma mensagem de paz e de perdão. Malala disse que «as armas mais poderosas são as canetas e os livros» e apelou à luta contra a iliteracia, a pobreza e o terrorismo.

Ao introduzi-la, Gordon Brown, ex-primeiro ministro britânico e atual enviado especial da ONUI para Educação deu os parabéns a Malala Yousufzai pelo 16º aniversário, uma felicitação que os talibã nunca quereriam ouvir.

Malala, que vestia um traje de Benazir Bhutto, tomou então a palavra com voz firme para dizer que não falava em nome próprio, mas em nome de quantos não podem falar.