O grupo terrorista Estado Islâmico divulgou um vídeo no com ameaça Espanha com novos ataques. Apesar de não ser a primeira vez que o país vizinho é alvo das mensagens do grupo extremista, desta vez, o vídeo é falado em castelhano. As imagem foram divulgadas pelo jornal El País.

Nas imagens, um jihadista de cara destapada, apela a quem não puder viajar até ao Estado Islâmico que ataque onde estiver, porque "a jihad não tem fronteiras". Mais à frente, o mesmo jihadista afirma que, "com a benção de alá, al andalus", antigo nome da Península Ibérica, esta "voltará a ser terra do califado".

 

Apesar de Portugal se situar na mesma península, outra frase do extremista deixa claro a quem se dirige a mensagem:

Aos cristãos espanhóis, não se esqueçam do sangue muçulmano derramado durante a inquisição espanhola. Vingaremos a vossa matança, a que estás agora a fazer com o Estado Islâmico"

Mas ao longo do vídeo, surge também um homem de rosto coberto e sotaque árabe, a falar castelhano. São exibidas imagens de notícias internacionais sobre o ataque nas Ramblas, em Barcelona, mas também do Rei de Espanha, Felipe VI, e do primeiro-ministro Mariano Rajoy.

O radical que surge de rosto descoberto é identificado como Abu Lais Al Qurdubi, ou seja, Abu Lais "el Cordobés" ("habitante de Córdoba"). Segundo avança o El País, que cita fontes policiais, o seu nome verdadeiro é Muhammad Yasin Ahram Pérez. Nasceu em Córdoba e tem 22 anos. É filho de Tomasa Pérez, uma espanhola de 41 anos, nascida em Málaga, e de Abdelah Ahram, um marroquino, com 42 anos, preso em Tânger por estar envolvido no radicalismo islâmico.

A mãe, oriunda de uma família católica, conheceu o marido em 1994 e um ano depois ficou grávida do primeiro filho. A 4 de dezembro de 2014, deixou o país e foi viver, com os filhos, para a Síria. Além de Muhammad Yasin Ahram Pérez - que aparece no vídeo - Tomasa Pérez tem mais cinco filhos. Musa, Islam, Ousama, Qoudama e Yunes (a única rapariga).