Centenas de turcos assistiram, esta quinta-feira ao funeral dos nove compatriotas vítimas de um ataque israelita ao barco Flotilha da Liberdade que se dirigia para Gaza com ajuda humanitária, avança o «El Pais».

A cerimónia foi realizada na mesquita de Fatih, num bairro tipicamente muçulmano de Istambul, sem a presença de figuras de Estado, e onde as bandeiras turcas e palestinianas marcaram presença.

Fora do tempo, milhares de turcos reuniram-se durante as cerimónias fúnebres num respeitoso silêncio, bruscamente quebrado assim que o funeral terminou por gritos e palavras de ordem contra Israel.

Mundo contra Israel

Em todo o mundo realizam-se manifestações de repúdio ao ataque israelita.

Três protestos que reuniram milhares de pessoas realizaram-se esta quinta-feira no centro de Jacarta, avança a EFE.

Empunhando bandeiras palestinianas e cartazes contra Telavive e os Estados Unidos, os manifestantes desfilaram pelo quarto dia sucessivo na capital indonésia gritando palavras de ordem como «Alá é grande» e «Jihad» (guerra santa).

«Israel, o verdadeiro terrorista», «Salvem a nossa Palestina», «Não nos renderemos» e «Egipto, abre os olhos» foram alguns dos lemas mais repetidos.

A maior concentração de protesto foi organizada pelo Partido da Justiça e Prosperidade (PKS), uma formação islamista que integra a coligação governativa do Presidente Susilo Bamgbang Yudhoyono, um antigo general laico e liberal.

O Líbano também foi palco de protestos, centenas de pessoas manifestaram-se, esta quinta-feira, contra o ataque israelita.

As ruas de Beirute encheram-se de protestantes que condenaram a acção de Israel

Manifestação em Lisboa

Portugal juntou a sua voz aos manifestantes de todo o mundo. Centenas de pessoas reuniram-se, em Lisboa, na quarta-feira, para manifestar o seu descontentamento face ao atentado israelita.

Palavras de ordem contra o regime de Jerusalém e de apoio à Palestina ecoaram junto à embaixada de Israel em Lisboa.