Catorze pessoas morreram e outras 134, entre as quais 32 estrangeiros, foram detidas esta segunda-feira pelas autoridades venezuelanas no âmbito de uma megaoperação contra a criminalidade realizada por funcionários de três organismos policiais num bairro de Caracas.

"Graças à Operação Liberdade da Pátria (OLP), detivemos 134 pessoas, entre elas 32 estrangeiros, ligadas ao tráfico de drogas, a extorsão e ao sequestro", anunciou o ministro venezuelano de Relações Interiores, Justiça e Paz, Gustavo González López, numa conferência de imprensa em Caracas.

O ministro precisou, por outro lado, que na OLP participaram 1.200 funcionários da Guarda Nacional Bolívariana (polícia militar), do Grupo Anti-extorsão e Sequestro (polícia científica) e do Serviço Bolivariano de Inteligência (serviços secretos).