Mais de 7,1 milhões de eleitores votaram na consulta simbólica contra o projeto de Assembleia Constituinte, promovido pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a oposição.

"Com 95% dos votos escrutinados, participaram 7.186.170 venezuelanos" na consulta popular organizada pelos opositores do presidente, para se pronunciarem sobre a alteração constitucional promovida pelo executivo, informou, em conferência de imprensa, a reitora da Universidade Central da Venezuela (UCV) e membro da comissão de garantias do plesbicito, Cecilia García Arocha.

A responsável precisou que 6.492.381 pessoas votaram na Venezuela e 693.789 no estrangeiro,

"Esta ação, realizada pela população venezuelana, é uma mensagem clara e contundente, a nível nacional e internacional, de que a população quer uma mudança de governo através da democracia", sublinhou. 

Há 19,5 milhões de eleitores registados no país. 

Em Caracas, três homens que circulavam em motas abriram fogo sobre as pessoas que estavam à espera numa das filas para votar. Uma mulher, de 61 anos, foi baleada mortalmente e três outras pessoas ficaram feridas, segundo a BBC.

Num outro incidente, o jornalista Luis Olavarrieta foi sequestrado, roubado e agredido, tendo conseguido escapar. 

A Venezuela encontra-se mergulhada numa grave crise económica e social.

Desde abril, já morreram 100 venezuelanos devido à violência que tem marcado os protestos contra o governo.