O Presidente da Venezuela acusou no sábado os distribuidores privados de alimentos de estarem a fazer uma «guerra económica» contra os venezuelanos. Nicolás Maduro denunciou que os produtos importados para abastecer o mercado local vão parar a outros países, incluindo Portugal.

«Se investimos em dólares e em bolívares para importar, para produzir (...) porque é que, pelas redes privadas, os produtos acabam em Cúcuta, em Bucaramanga, em Bogotá, em Cali (todas elas localidades na Colômbia), em Aruba, em Miami (EUA) e até em Portugal», questionou Nicolás Maduro.

De acordo com a Lusa, Nicolás Maduro falava no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, num discurso transmitido pelas televisões venezuelanas, depois de regressar de um périplo pela Rússia, China, Irão, Arábia Saudita, Catar e Argélia, que incluiu, na sexta-feira, uma paragem técnica em Portugal, onde se reuniu com o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas.