Um luso-descendente, alegado cabecilha de um grupo de sequestradores, foi morto quinta-feira à noite em Caracas (madrugada de hoje em Lisboa), numa troca de tiros com as autoridades, informaram fontes policiais.

A troca de tiros ocorreu dentro do centro comercial El Tolón, em Las Mercedes, Baruta (leste de Caracas) e, além de Victor Manuel da Câmara, o luso-descendente que era conhecido localmente conhecido como "El Portugués", foi também abatido mais um membro do gangue, tendo sido detidas seis pessoas, acrescentaram as fontes.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Câmara Municipal de Baruta, Gerardo Blyde, disse que a troca de tiros ocorreu quando o gangue notou que estava a ser perseguido pela polícia e se refugiou na zona de estacionamento do centro comercial.

"Funcionários do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária) vinham seguindo os passos destes homens, desde há vários dias, pois pertenciam a um grupo que se dedicava ao sequestro (de pessoas), ao roubo de viaturas, de quintas, entre outros delitos", disse o autarca.

Segundo Blyde, "El Portugués" liderava um grupo de criminosos e era o "homem de confiança" de Mini Joe, criminoso que recentemente conseguiu fugir da Penitenciaria Geral da Venezuela (sul de Caracas) e morreu igualmente numa troca de tiros com as autoridades, sendo suspeito de estar envolvido nalguns dos ataques com explosivos, ocorridos no último fim de semana, contra várias esquadras policiais.