As batatas fritas esgotaram em mais de 100 restaurantes da cadeia McDonald’s na Venezuela. Os franchisados estão agora a substituir as batatas fritas pelas tradicionais arepas de milho ou por mandioca.

A McDonald´s justifica a falta do produto com a disputa contratual com os trabalhadores portuários da Costa Oeste, nos Estados Unidos, que está a travar a exportação de batatas fritas congeladas para a Venezuela. A disputa laboral também provocou vários dias de racionamento de batatas fritas no Japão, em dezembro.

Sonia Ruseler, porta-voz da companhia Arcos Dorados, que administra os restaurantes McDonald’s da América Latina, recusou especificar se os países vizinhos da Venezuela estão a sofrer da mesma escassez.

Contudo, habituados à escassez de alguns dos produtos mais consumidos no país, muitos venezuelanos estão a culpar a administração de Nicolás Maduro pelo sucedido. «É por causa da situação aqui, é um desastre total», disse Maria Guerreiro, às portas de um restaurante de Caracas, quando descobriu que estavam a servir mandioca como substituto das batatas fritas.

Enquanto Sonia Ruseler garante que a companhia está a fazer tudo para resolver a situação, a rival Burger King, está a utilizar as redes sociais para lembrar os clientes que há cadeias de fastfood que continuam a servir as tradicionais batatas fritas, ao estilo americano.

 
De acordo com a Associated Press, John Toaspern, responsável pelo departamento de marketing US Potato Board, também já fez saber que a Venezuela cortou na importação de batatas fritas congeladas, ainda antes da disputa laboral nos Estados Unidos. Nos primeiros dez meses de 2014, o país importou apenas 14 por cento do produto que tinha comprador no ano anterior ao maior fornecedor da McDonald´s sediado em Washington.