Um bebé supostamente esteve «à venda» num anúncio de um site de classificados no Brasil durante, pelo menos, 12 horas.

Os factos ocorreram na terça-feira e a empresa OLX acabou por retirar o conteúdo com a justificação de que era «impróprio». Mas, o caso não acaba aqui e a polícia está a investigar a origem deste anúncio, que mostrava a fotografia de uma criança com a seguinte legenda: «Chora muito e não deixa eu dormi e eu tenho que trabalhar para sobreviver», cita o jornal «Globo». O «valor» do bebé era de mil reais (pouco mais de 300 euros).

A Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente de Aparecida, no Brasil, está no encalce do número de telefone e da morada disponibilizados no site. O número de telefone, já se sabe, pertence a um terceiro que não tem nada a ver com esta história.

A delegada confessa ao «Globo» que não há certezas de que se tratasse de uma negociação real. No entanto, mesmo tratando-se de uma brincadeira, ela pode sair cara ao autor, porque há vários crimes em cima da mesa. Desde logo, a divulgação da imagem de um menor e o usar indevidamente os dados pessoais de outro cidadão.

Ativo durante 12 horas, a hipotética venda de uma criança correu mundo por esse autoestrada gigante que é a Internet e que liga os quatro cantos do mundo. O OLX está presente em pelo menos 127 países.

A empresa esclareceu que logo que detetou o conteúdo o retirou de linha. «A OLX também reafirmou que não participa de nenhuma forma de transação entre os anunciantes do site e os clientes, funcionando apenas como uma plataforma de classificados grátis na Internet»,escreve o «Globo».