Elizabeth Hawk, com 33 anos de idade, foi presa devido à alimentação exclusivamente vegetariana que dava ao seu bebé de, apenas, 11 meses. O caso aconteceu na Pensilvânia, Estados Unidos. O menor só comia fruta e bagas e a mãe foi acusada de "negligência", escreve a Associated Press.

O caso foi denunciado pelo próprio marido, e pai do bebé, durante uma ida ao hospital. O menor teve uma erupção cutânea grave, da cabeça aos pés, que pode ter sido causada pela alimentação dada pela mãe. Essa informação consta, segundo a Associated Press, dos documentos que deram entrada no tribunal.

Jerry Hawk, de 44 anos, e pai do bebé acabou por levá-lo aos “Serviços de Proteção de Crianças e Jovens do Condado de Fayette”, onde afirmou que a esposa se tinha “tornado obcecada” com a dieta vegetariana e não permitia que o filho fosse alimentado de mais nada além, de frutas, pequenas amêndoas ou nozes.

A alimentação administrada pela mãe, segundo o pai, fez com que a criança ficasse desnutrida, colocando a sua vida em risco. Jerry acrescentou ainda que, após surgir a erupção na pele, Elizabeth quis automedicar a criança, com um tónico, mas que ele não o permitiu.

O bebé, não conseguia nem gatinhar, devido à desnutrição”, afirmou o pediatra, em tribunal, de acordo com a revista PEOPLE.

A mãe que também seguia uma alimentação vegetariana restrita, acabou por ser detida pelas autoridades e acusada está acusada de "negligência", por não alimentar de forma correta o filho, colocando a vida deste em perigo.