Atualizada às 20:04

O papa Francisco apelou este domingo à «coragem» para fazer a paz, numa oração conjunta com os presidentes israelita e palestiniano, que decorreu nos Jardins do Vaticano, pela paz no Médio Oriente.

«Fazer a paz implica coragem, muito mais do que a guerra», disse o papa, acrescentando uma prece a Deus: «Coloca nos nossos corações a coragem para dar passos concretos para alcançar a paz».

O papa elogiou a presença dos dois presidentes, que considerou «um grande sinal de fraternidade, que fazem como os filhos de Abraão, e expressão concreta de confiança em Deus, Senhor da História, que hoje nos olha como irmãos, e deseja conduzir-nos pelos seus caminhos».

O papa Francisco, o presidente de Israel, Shimon Peres, e o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, iniciaram à hora marcada, 18:00 em Portugal, a oração pela paz no Médio Oriente.

A oração decorre nos Jardins do Vaticano, e o serviço religioso iniciou-se com uma oração em hebraico, divida em três segmentos, intercalados com interlúdios musicais.

As três delegações - israelita, palestiniana e da Santa Sé - que acompanham os presidentes Shimon Peres, Mahmoud Abbas e o papa Francisco na oração pela paz no Médio Oriente têm dimensões diferentes e são sobretudo compostas por personalidades religiosas, mas também integram alguns políticos, de acordo com a lista distribuída pelo Vaticano.