O papa alertou esta quarta-feira para os vigaristas que tentam vender aos peregrinos a passagem por milhares de "portas santas" abertas em todo o mundo por ocasião do Jubileu da misericórdia.

Na segunda-feira, a polícia italiana apreendeu 3.500 pergaminhos com falsas bênçãos papais que se destinavam a ser vendidos a peregrinos durante o Jubileu, que começou no dia 08, com a abertura da "porta santa" na basílica de São Pedro.

"Já que o Jubileu decorre em todo o mundo e não apenas em Roma, pode tornar-se numa experiência partilhada por todos", congratulou-se Francisco, durante a audiência geral semanal na praça de São Pedro.
 

"Tomai atenção aos espertos e manhosos que vos disserem que é preciso pagar. A salvação não se paga e não se compra"


Desde do lançamento do Jubileu, a 08 de dezembro, mais de dez mil "portas santas" foram abertas por todo o mundo, de acordo com o Conselho pontifício para a promoção da nova evangelização.

Atravessar uma "porta santa" - tradicionalmente em uma ou nas quatro basílicas romanas - em peregrinação permite receber a "indulgência plenária" para o perdão dos pecados.

Pela primeira vez na história dos Jubileus, o papa pediu a abertura de "portas santas" em todas as catedrais, santuários e locais significativos em todo o mundo, para que a peregrinação possa ser feita por todos e não apenas por aqueles que podem viajar até Roma.

De acordo com o Vaticano, 180 mil peregrinos atravessaram a "porta santa" da basílica de São Pedro nos primeiros dias do Jubileu, contra centenas de milhares de pessoas no início do Ano Santo Extraordinário do ano 2000.

Esta quarta-feira, 15 mil pessoas estavam na praça de São Pedro, onde a segurança foi reforçada antes das celebrações de Natal.

O Ano Santo Extraordinário da Misericórdia termina a 20 de novembro de 2016.