O coro da Capela Sistina está a ser investigado por alegada apropriação indevida, fraude e lavagem de dinheiro, segundo o Vaticano.

Num breve comunicado a propósito de algumas notícias sobre o assunto, o Vaticano revela que o papa autorizou essa investigação.

Confirmamos que o papa Francisco, há alguns meses, autorizou uma investigação sobre aspetos económico administrativos no referido coro, uma investigação ainda em andamento", refere o Vaticano.

Embora a nota, divulgada na noite quarta-feira, não forneça mais detalhes, vários meios de comunicação italianos publicaram rumores sobre alegadas irregularidades.

Segundo o jornal La Stampa, o diretor do coral, Massimo Palombella, e seu diretor administrativo, Michelangelo Nardella, seriam as pessoas investigadas por supostamente fraude.

O coro da Capela Sistina é considerado um dos mais antigos do mundo e foi criado em 1471. É composto por crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, embora também tenha alguns cantores adultos.