A primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior termina esta sexta-feira e este pode ser o primeiro ano, desde 2008, a registar um aumento do número de candidatos, tendo em conta as candidaturas já realizadas.

De acordo com os dados mais recentes, disponíveis na página da Internet da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), foram submetidas 39.324 candidaturas às universidades e politécnicos da rede pública, até dois dias antes do fecho do prazo (06 de agosto), um número superior em quase três mil, em relação ao atingido no mesmo período do ano anterior.

Esta tendência pode ser verificada na evolução diária das candidaturas, disponível para consulta na página da DGES, que permite comparar cada dia do concurso nacional de acesso, com o dia correspondente do ano anterior.

O ano de 2008 foi o último a registar um aumento do número de candidaturas ao ensino superior, com 53.062, quase duas mil a mais do que as 51.472 registadas em 2007.

Desde então a tendência tem sido sempre a diminuição do número de candidatos, que foi o mais baixo de uma década em 2013, quando chegou aos 40.419, um milhar a menos do que os 41.662 que concorreram ao ensino superior público em 2003.

A primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior arrancou a 17 de julho e termina hoje, com 50.820 vagas a concurso, um número que não era tão baixo desde 2008.

Universidades e politécnicos públicos disponibilizam assim menos 641 lugares, nos 1.067 cursos que abrem em 2014-2015, do que os 51.461 colocados a concurso no ano letivo de 2013-2014.

A informação disponibilizada pelo Ministério da Educação e Ciência indica que o número total de vagas disponíveis para a primeira fase do concurso nacional de acesso está a cair desde 2011, ano em que foram a concurso 53.500 lugares.