O conflito na Síria está a afetar «mais de quatro milhões de crianças», expostas de forma «prolongada» à violência, à perda de amigos e familiares e à falta de condições de vida, estima a Unicef.

Pesadelos, chichi na cama, desenhos agressivos e falhas de memória são alguns dos sinais identificados pelos especialistas da agência das Nações Unidas em cada vez mais crianças.

Em comunicado, a Unicef contabiliza em 470 mil as crianças refugiadas sírias que, desde o início do ano, «receberam apoio psicológico em mais de 220» unidades de apoio especializadas.