A União Europeia (UE) está preocupada com a nova escalada de violência na Ucrânia, criticando o reforço da presença militar nas regiões separatistas do território, apelando à «contenção» das partes.

«As últimas informações da missão especial de monitorização da OSCE [Organização para a Segurança e Cooperação na Europa] na Ucrânia referem a presença, em áreas separatistas, de carregamentos de armamento pesado, tanques e tropas sem insígnias, movimentando-se para ocidente, o que representa um desenvolvimento de grande preocupação», assinala a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini, em comunicado.

A ex-chefe da diplomacia italiana, que assumiu o cargo de alta representante para a Política Externa e de Segurança Comum da UE a 1 de novembro, defende como «imperativo» que se ponha fim à nova escalada de hostilidades, apelando à «contenção» de todas as partes.