A Europa está “perto do limite” no que toca á receção de refugiados. Quem o diz é o presidente da União Europeia, Donald Tusk, que instou a comunidade internacional para agir de forma mais eficiente no sentido de acelerar a reintegração das pessoas que procuram asilo.

As capacidades práticas da Europa para receber novas vagas de refugiados, já para não falar do imigrantes clandestino, está perto de atingir os limites”, sublinhou Donald Tusk, este domingo, antes do arranque da cimeira de dois dias do G20, na China

O presidente da União Europeia instou também os membros do G20 a agir de forma mais eficiente perante a crise dos refugiados.

Perante um número sem precedentes de 65 milhões de pessoas deslocadas em todo o mundo, a comunidade do G20 tem de aumentar a sua quota de responsabilidade”, disse.

 

Só uma ação global para apoiar a população refugiada e os países que a acolhem será capaz de dar frutos. (…) É por isso que queremos incentivar os nossos parceiros a incrementar a ajuda humanitária e de desenvolvimento, bem como a reintegração de refugiados. Necessitamos de atacar a raiz do problema que obriga milhões de pessoas a deixar as suas casas e a procurar refúgio noutro sítio.”

Centenas de pessoas continuam, diariamente, a tentar fugir da instabilidade em países como a Síria, o Iraque, a Somália ou a Eritreia e a chegar a outros países, nomeadamente Itália ou Grácia.