Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) adotaram esta segunda-feira, em Bruxelas, o plano de ação para o Golfo da Guiné (2015-2020) que inclui uma missão em que participa um navio de guerra português.

O plano de ação determina os moldes em que decorre o apoio da UE aos países do Golfo da Guiné até 2020, nomeadamente São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial, no combate a ameaças à segurança marítima, como a pirataria, o contrabando, o tráfico de seres humanos e droga e a pesca ilegal.

Portugal participa na missão no Golfo da Guiné com um navio patrulha oceânico.