Um grupo de jornalistas dos estados-membros da União Europeia defendeu no Tribunal de Justiça da União Europeia a exigência do Parlamento Europeu tornar pública a informação acerca do dinheiro que os eurodeputados receberam em subsídios para além dos seus ordenados. O caso remonta a julho de 2015, quando os jornalistas contactaram a instituição para perceber onde é que os parlamentares gastaram mais de 71 milhões de euros e essa informação foi-lhes negada.

Em novembro do ano passado, os 29 jornalistas apresentaram a queixa contra o Parlamento Europeu. O caso começou esta segunda-feira a ser discutido.

“Consideramos muito preocupante que o Parlamento Europeu não tenha controlo sobre como são gastos todos os anos 38,7 milhões de euros de dinheiro dos contribuintes, e é ainda mais preocupante que o Parlamento o considere justificado”, argumentou Natasa Pirc Musar, advogada dos jornalistas, segundo um comunicado do grupo a que a TVI teve acesso.