A Islândia vai abandonar a intenção de aderir à União Europeia e fazer o referendo que tinha sido prometido pelos dois partidos eurocéticos que integram o Governo, anunciou esta sexta-feira o executivo.

O centrista Partido do Progresso e o Partido da Independência, de direita, ambos no poder, concordaram num projeto de lei que solicita ao Governo «que retire a candidatura à União Europeia», apresentada em 2010.

«Esta proposta vai ser da minha responsabilidade. O ministro dos Negócios Estrangeiros da altura apresentou a intenção de candidatura, pelo que é natural que seja eu a apresentar a proposta para a retirar», afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Gunnar Bragi Sveinsson, à televisão pública RUV.