A Hungria vai realizar a 2 de outubro um referendo sobre o plano de relocalização dos migrantes entre os Estados-membros da UE, anunciou a presidência húngara.

Como Presidente da República, decreto a realização do referendo a 2 de outubro", de acordo com a declaração oficial do chefe de Estado húngaro, Janos Ader.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, opõe-se à aplicação do plano da UE e o Governo de Budapeste tinha anunciado, no início do ano, que pretendia referendar a questão.

Assim sendo, os húngaros vão ser chamados a responder à seguinte pergunta: "Querem que a União Europeia tenha o poder de decretar a relocalização obrigatória de cidadãos não-húngaros na Hungria sem a aprovação do parlamento húngaro?".