O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse, esta segunda-feira, perante o Parlamento do país, que a Gra-Bretanha não vai, para já, acionar o artigo 50 do Tratado de Lisboa. Cameron sublinhou que se trata de “uma decisão soberana e que que cabe ao Reino Unido, e unicamente ao Reino Unido, sozinho, tomar”.

Cameron adianta assim que o início das negociações deve acontecer já sob a vigência do novo primeiro-ministro. David Cameron demitiu-se na sexta-feira de manhã, assim que foram conhecidos os resultados do referendo, e anunciou que fica no cargo até outubro.

Perante o Parlamento, Cameron sublinhou também que o resultado do referendo é para ser tomado em conta e a vontade do povo britânico é para ser respeitada. Contudo, Cameron sublinha que o facto de se abandonar a União Europeia “não significa virar costas à Europa”.

Temos de determinar que tipo de relação queremos ter com a Europa", acrescentou. 

Através do seu porta-voz, esta segunda-feira, David Cameron já tinha feito saber que um segundo referendo sobre o tema está fora de questão

O assunto não está sequer em cima da mesa. Houve um resultado decisivo [no referendo] e o Governo está, agora, focado na discussão dos termos da saída”, disse o porta-voz do primeiro-ministro britânico aos jornalistas.