Os níveis médios do mar estiveram este ano mais altos do que nunca, o que torna as populações que vivem nas zonas costeiras mais vulneráveis a fenómenos climatéricos extremos como o tufão Haiyan, disse hoje a ONU.

Num relatório sobre o clima, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) estimou também que 2013 vá ser um dos anos mais quentes desde que os dados começaram a ser recolhidos.

A relação entre o aquecimento global e o aparecimento de fenómenos como os tufões tem sido um tema de debate entre os cientistas, mas o líder da OMM, Michel Jarraud, considera que «apesar de os ciclones tropicais não poderem ser atribuídos diretamente às mudanças climatéricas, os altos níveis médios do mar já estão a tornar as populações costeiras mais vulneráveis às tempestades, como vimos recentemente nas Filipinas».

Com um aumento médio de 3,2 milímetros por ano, o aumento deste ano é o dobro da tendência registada no século XX: 1,6 milímetros por ano, acrescentou o responsável, que avançou também que uma das razões para este aumento tem a ver com o aquecimento dos glaciares e das zonas geladas da terra, que derretem o gelo e aumentam o nível da água dos oceanos, de tal forma que eles vão «continuar a aquecer e a expandir-se nas próximas centenas de anos».

No que diz respeito às temperaturas, a agência da ONU para o clima disse que os primeiros nove meses de 2013 eram, a par de 2003, o sétimo período mais quente desde que as temperaturas começaram a ser registadas e recolhidas, em 1850.

A temperatura andou quase meio grau acima da média entre 1961 e 1990, com especial destaque para a Austrália, o norte da América do Norte e boa parte da Euroásia.