O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, partiu hoje para o Médio Oriente e o Golfo, numa deslocação dominada pelo processo de paz israelo-palestiniano, guerra na Síria e dossier nuclear iraniano.

De acordo com a agência noticiosa egípcia Mena, Kerry deverá fazer uma paragem «de algumas horas» no Cairo, etapa referida esta semana pelo responsável norte-americano.

A passagem pela capital egípcia não está incluída no programa oficial de Kerry, numa altura em que o relacionamento entre os dois países atravessa um momento conturbado e antes do início do julgamento do presidente deposto Mohamed Morsi, na segunda-feira.

A primeira etapa da 17.ª viagem, em oito meses, do chefe da diplomacia norte-americana é, no domingo e na segunda-feira, a Arábia Saudita, para encontros com o rei Abdallah, numa tentativa de apaziguamento das tensões entre os dois aliados.

Riade critica Washington por não realizar uma intervenção militar na Síria e pela aproximação ao Irão.

Na capital saudita, o secretário de Estado «vai reafirmar a natureza estratégica das relações entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita» e falar da maneira «de pôr fim à guerra na Síria, e avançar no Egito», bem como das «negociações do grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - França, Reino Unido, Estados Unidos, China e Rússia - e a Alemanha) e o Irão» sobre a questão nuclear, a 07 e 08 de novembro em Genebra, disse Psaki.

As autoridades sauditas estão também descontentes com a redução da ajuda militar norte-americana ao regime no poder no Egito.

Principal impulsionador do reinício, no final de julho, do diálogo direto entre Israel e os palestinianos, John Kerry vai deslocar-se, em seguida, a Israel e a Belém, nos territórios palestinianos, para relançar o processo de paz em risco - na perspetiva palestiniana - pelo anúncio de Israel sobre a construção de mais 1.500 alojamentos nos colonatos em Jerusalém Oriental.

O secretário de Estado norte-americano, que já visitou 35 países, desde que assumiu as funções em fevereiro, deve também visitar Amã, Abu Dhabi, Argel, no âmbito do diálogo estratégico Estados Unidos-Argélia, e Marrocos.

John Kerry tem ainda prevista uma breve deslocação a Varsóvia, devendo regressar a Washington a 12 de novembro.