O Japão poderá modificar o programa de caça da baleia, se for essa a decisão do Tribunal Internacional de Justiça, que começa hoje a análise da queixa apresentada pela Austrália contra a caça nipónica dos cetáceos na Antártida.

«O Japão está disposto a modificar o programa se isso for necessário», disse o representante de Tóquio perante o Tribunal, Koji Tsuruoka, nas alegações que concluíram três semanas de audiências sobre este conflito no órgão máximo judicial da ONU.

Apesar desta declaração, de acatar a decisão final do Tribunal da ONU, o representante japonês continuou a defender os objetivos científicos do programa de caça à baleia, de acordo com a agência noticiosa espanhola EFE.