Pelo menos 100 polícias e militares terão ficado feridos na sequência de uma explosão durante confrontos com manifestantes junto ao parlamento em Kiev, na Ucrânia, nesta segunda-feira, segundo fonte oficial do Governo, citada pela France Presse. Há também notícia da morte de um elemento da guarda nacional, na sequência dos ferimentos causados pelos disparos, segundo avança um assessor do ministro do Interior Arsen Avakov no Facebook, cita a agência noticiosa Reuters.

O assessor Anton Gerashchenko  refere que o guarda morreu de disparos que lhe atingiram o coração.

Segundo o testemunho de um jornalista da agência francesa, há também vários repórteres feridos.

O parlamento da Ucrânia aprovou hoje em primeira leitura a polémica reforma constitucional que dá mais autonomia aos territórios separatistas do leste, enquanto, no exterior, um protesto contra a reforma degenerou em confrontos com a polícia.

Várias centenas de militantes do partido nacionalista Svoboda juntaram-se ao princípio da manhã frente à Rada Suprema (parlamento) para contestar a reforma, que consideram “anti-ucraniana” e pró-Putin”.

Ao mesmo tempo, militantes do partido de extrema-direita Setor Direita anunciaram ter bloqueado o tráfego na rua frente à assembleia.