«Apesar da complexidade do momento, as relações com a União Europeia, vizinha e maior sócio comercial, continuarão a ser uma das prioridades da política externa russa»

Intitulado «Principais acontecimentos da política externa em 2014», o documento, que é citado pela Lusa, destaca que o ano que termina se caracterizou por uma «acumulação de elementos de instabilidade e pelo incremento da crise nas relações internacionais, que se encontram numa fase de transição».

Recorde-se que ontem mesmo Vladimir Putin, através do Kremlin, deu a conhecer a revisão da doutrina militar por si elaborada em 2010. Uma doutrina que eleva a NATO ao estatuto de uma das maiores ameaças à segurança do país