O ministro dos negócios estrangeiros russo, Sergei Lavrov, criticou esta sexta-feira a lei aprovada pelo congresso norte-americano sobre a Ucrânia, e afirmou que Washington está a fazer todos os possíveis para destruir «a pouca cooperação que ainda existe entre os dois países».
 
O diplomata russo refere-se à «Lei de Apoio à Liberdade da Ucrânia 2014», que permite que os EUA prestem assistência militar a Kiev. A mesma legislação modifica a Lei de Assistência Exterior de 1961, passando a definir a Ucrânia, assim como a Geórgia e Moldávia, como um dos seus principais aliados dos EUA fora da NATO.
 
O documento garante ainda auxílio nos setores da defesa e energia, e também civil, no caso de deslocados internos, e permite à administração norte-americana impor mais sanções a empresas públicas russas como a Rosoboronexport, e Gazprom.

Lavrov acrescentou, em comunicado, que as autoridades dos Estados Unidos não são capazes de deixar para trás as suas fobias nas suas conexões com a Rússia, e advertiu que essa mesma lei pode prejudicar as relações bilaterais.
 
Importante referir que desde o início do conflito na Ucrânia, as relações entre Moscovo e Washington são as mais fracas desde a Guerra Fria.