Manifestantes ucranianos lançaram este sábado um assalto contra um edifício no centro de Kiev, atualmente ocupado por membros das forças de segurança e próximo da praça da Independência, noticiou a agência francesa AFP.

Cerca de dois mil opositores concentraram-se junto à «Casa Ucraniana», onde alguns conseguiram entrar, e lançaram cocktails molotov para o interior do edifício. A polícia respondeu com granadas.

A oposição recusou as propostas feitas pelo presidente ucraniano, Viktor Ianukovitch, que convidou Arseni Iaseniuk - líder do partido Baktivchtchina da opositora presa Iulia Timochenko - e Vitali Klischko - ex-pugilista e candidato à presidência - a integrarem um governo de poderes alargados, como primeiro-ministro e vice-primeiro-ministro, respetivamente.

Oposição quer continuar protestos apesar de propostas do presidente ucraniano

Vários dirigentes da oposição ucraniana anunciaram este sábado, perante os manifestantes em Kiev, que pretendiam continuar o movimento de protestos, depois das propostas do presidente Viktor Ianukovich para tentar resolver a crise.

Sem se pronunciarem explicitamente sobre a proposta de nomear dois dos líderes da oposição para chefiar um governo de poderes alargados, os dirigentes opositores garantiram que vão continuar mobilizados até que todas as exigências sejam satisfeitas, a começar pela convocação de eleições presidenciais já este ano e não em 2015, como previsto.

«A luta continua», afirmou o opositor nacionalista Oleg Tiagnybok, perante dezenas de milhares de pessoas concentradas na praça da Independência.