Dezenas de milhares de manifestantes protestaram hoje no centro da capital da Ucrânia, Kiev, exigindo eleições antecipadas tanto para a presidência e para o Governo do país, desafiando uma proibição imposta na noite passada por um tribunal ucraniano.

No sábado os partidos da oposição anunciaram um acordo para fazer uma frente de oposição unida ao Presidente da Ucrânia e ao Governo, exigindo a sua demissão e eleições antecipadas.

Hoje, dezenas de milhares de manifestantes decidiram desafiar a decisão de um tribunal ucraniano durante a noite de sábado que proíbe as manifestações até dia 07 de dezembro no centro da cidade até à praça da Independência, para onde se dirigiam hoje os manifestantes.

Os manifestantes acabaram por romper as barreiras da polícia na Praça da Independência.

A coluna dos manifestantes era encabeçada por uma grande bandeira da Ucrânia, e na manifestação terão estado presentes dezenas de milhares de pessoas, segundo as agências internacionais.

Na dianteira da coluna seguiam os líderes dos partidos da oposição, que exigiram no sábado eleições presidenciais e legislativas antecipadas, depois de o Presidente ucraniano, Viktor Yanukóvich, se ter recusado a assinar um acordo de associação com a União Europeia e pela repressão às manifestações a pedirem a demissão do Governo e do chefe de Estado na noite de sábado.