Um ataque a uma zona residencial de Mariupol, na Ucrânia, fez este sábado dez mortos, de acordo com o chefe da polícia local que acusa os rebeldes pró-separatistas do ataque, segundo a Reuters. 
 
A AFP acrescenta que se tratou de um rocket que atingiu um mercado.

O dirigente da autoproclamada república de Donetsk Alexandre Zakhartchenko anunciou ter lançado uma ofensiva contra o porto estratégico de Mariupol, controlado por Kiev e alvo de bombardeamentos que já mataram mais de 25 pessoas.

«A ofensiva contra Mariupol iniciou-se hoje. Será a melhor homenagem a todas as vítimas», declarou Zakhartchenko, citado pela agência russa Ria Novosti, citada pela Lusa.

Segundo o gabinete do presidente da câmara de Mariupol, pelo menos 27 pessoas morreram em ataques de artilharia dos separatistas pró-russos à estratégica cidade.
 
A Ucrânia tem vivido nos últimos dias um aumento da escalada de violência que assola o país há quase um ano, com vários ataques que vitimaram civis, como aquele que matou mais de uma dezena de civis numa paragem de autocarro. 
 
A tensão entre os governos ucraniano e russo tem subido de tom. Os líderes mundiais presentes em Davos, na Suíça, esta semana, revelaram as suas preocupações.
 
De acordo com números divulgados pela ONU esta semana, o conflito já matou cinco mil pessoas desde abril de 2014.