O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse que a crise com a Rússia, pelo apoio aos separatistas no leste da Ucrânia, está perto de um «ponto de não retorno» e de se transformar numa «guerra em larga escala».

«Penso que estamos muito perto do ponto de não retorno. O ponto de não retorno é uma guerra em larga escala», disse numa conferência de imprensa, depois de se reunir em Bruxelas com os chefes de Estado e de Governo dos países da União Europeia (UE).

Poroshenko acrescentou que considera como guerra o movimento de tropas russas no leste da Ucrânia e considerou que, se acontecer uma ação ofensiva, esse é o ponto de não retorno.

O presidente ucraniano disse ainda que estão a ser feitos grandes esforços para que se possa resolver a crise ao nível diplomático, e mostrou-se confiante de que os resultados das negociações trilaterais da próxima semana entre a OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), a Rússia e a Ucrânia seja o cessar-fogo.

Poroshenko falava depois de se reunir com os chefes de Estado e de Governo da UE e de reuniões bilaterais com o ainda Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o chefe do Governo italiano, Matteo Renzi.

O presidente ucraniano disse ainda que espera até final do ano um terceiro apoio financeiro adicional da UE de mil milhões de euros, dos quais 510 milhões em forma de empréstimo e 250 milhões em forma de doação.